Volte ao SPIN


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

A arte que passou batida ou: Não estou me reconhecendo

Será que troquei o mundo sensível pelo somente ordinário ou, noutras palavras: Será que deixei a arte de lado. É que nesta noite ao chegar em casa vi no chão papéis sobrepostos encharcados pela água e o nome TUDO
Mais à frente vi outro TUDO
Não era uma coisa qualquer
Estava tudo exposto de uma certa forma que não tive dúvida: Era arte
E fotografei com o aparelho de celular
Comentei com o funcionário da portaria
Eu: Sérgio, vi ali perto da esquina um trabalho de arte, fotografei com o celular mas não ficou muito bom, vou pegar a máquina fotográfica e, por causa do horário, queria que vc fosse lá comigo, estou com meio de ser assaltado, pois agora é tarde da noite e este bairro vc sabe como está não é mesmo
Ele: Tudo bem, vou lá com você
(Ao chegar em casa fiquei pensando sobre aquela obra.,..pensando pensando pensando mas sem pique para procurar descer para recolhê-la ou ao menos fotografá-la.,.amanhã faço isso)
6:00 h (pensando: Tenho que descer para buscar aquela obra. Ou registrá-la)
7:00 h (pensando: Tenho que descer para buscar aquela obra. Ou registrá-la)
8:00 (Pensando: Tenho que descer para buscar aquela obra. Ou registrá-la)
9:00 - Resolvi descer e, chegando ao local, estava tudo varrido. Limpo.  
A obra foi levada como se fosse lixo.

....................
xxxxxxxxxx
...................................

Visão: Momento 1
Ah, ao dormir pensando naquela arte, tive a seguinte revelação de sonho: Um ninho bordado em forma de jarro e plantas saindo do seu interior

.............................................
Forma: Momento 2
(Em branco)

..............................................


Conhecimento: Momento 3
(Em branco)

.....................................


Post em construção

.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

As coisas como elas são: As crianças não são anjos ou: Volta ao mundo real. Real ou ordinário ou comum. Tanto faz



Agora estou na linha do tempo em si, ou seja, nos dias
As coisas nem sempre têm a dimensão com a qual se nos apresentam
E registrei isso num tempo em que eu via tudo muito grande
Grande ou pequeno, tanto faz
Longo ou curto, tanto faz
O importante era ser feliz
E fui


ah...antes que eu m esqueça...

AS CRIANÇAS NÃO SÃO ANJOS e sim seres normais. Elas não são gigantes assim como o eram antes da nova realidade. Engraçado como as coisas se apresentavam para mim. Não exatamente traduzir mas, pense nas coisas transformadas noutra coisa: Uma criança deixou de ser criança para virar uma alegoria de Cintia. As crianças não são alegorias objetos e sim seres reais. Vi isso ontem ao chegar ao prédio onde moro: Gabriel estava em sua dimensão exata. Muito estranho a realidade como ela é. Dormi e sonhei com a vida como ela é: Um assassinato. E a prisão do capiroto logo em seguida. Ele agora está amarrado, fica tranquila e vida longa às crianças.
Compartilhei no facebook com o seguinte adendo:
Amigos e amigas, a partir de agora a vida como ela é ou: As crianças em sua verdadeira dimensão e não como anjos..


sexta-feira, 17 de janeiro de 2014