Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

segunda-feira, 11 de junho de 2012

VISÃO = FORMA = CONHECIMENTO

[jose carlos lima] [jose.carlos.lima@hotmail.com] [Goiânia - Rio Meia Ponte]
9. Se é, então, hoje possível em certas ocasiões de usar "jagunco" de uma 
forma carinhosa (o que sempre inclui uma leve ironia), eu queria apelar a um 
uso adequado do conceito "jagunço" em trabalhos "sérios", principalmente 
científicos, sobre Canudos. Peço que neles não se use o termo "jagunço" para 
denominar a população de Canudos nem os sertanejos do nordeste - a não ser, 
é claro, como conceito histórico, colocando-o, consequentemente, entre 
aspas. "Jagunço" é uma palavra historicamente marcada, preenchida e, por 
assim dizer, poluida pela semântica acima descrita. Do mesmo modo que na 
Alemanha não podemos mais usar certos termos marcados pelo racismo letal dos 
nazistas, tais como "Zigeuner", Blutschande", "Endlösung", o "jagunço" 
entrou na lista destas palavras poluidas. Dawid Danilo Bartelt desenvolve 
tese (doutorado) na Alemanha sobre Canudos, este artigo foi publicado na 
Revista "Cadernos do CEAS", número especial "Canudos", 1997, pp. 37-46. Site 
http://www.portfolium.com.br

06/04/2006 13:09



[jose carlos lima] [jose.carlos.lima@hotmail.com] [Goiânia - Rio Meia 
Ponte]
9. A igreja concentrava-se em duas estigmas: o "herege" e o "doente mental". 
O arcebispo de Salvador chegou a solicitar em 1887 uma vaga no "Asilo de 
Alienados" para o Conselheiro, já que este sofreria de um "ataque de 
monomania religiosa". A administração pública levou este pedido ao absurdo 
alegando que não havia vaga no referido Asilo. Quanto a heresia do 
Conselheiro, ninguém sabia melhor do que a própria igreja que ele se 
mantinha, teologicamente, dentro da doutrina católica. A igreja dispunha, 
portanto, de apenas um argumento intrínseco forte contra o Conselheiro e seu 
séquito: o "fanatismo". Separava-a deste movimento o seu "fanatismo 
religioso" contra a religiosidade 'normal' da igreja. Subscrevia então ao 
que aplicavam as instituições republicanas - no nosso caso, administração e 
imprensa. Para elas, "fanatismo" era uma caracterização básica dentro da 
oposição civilização - selvageria/barbárie, uma matriz do discurso sobre 
"Canudos". Documento: http://www.portfolium.com.br/arti

06/04/2006 13:06



[jose carlos lima] [jose.carlos.lima@hotmail.com] [Goiânia - Rio Meia 
Ponte]
9. Voltar para o índice dos artigos * * * * * O CERCO DISCURSIVO DE CANUDOS 
Interdiscursos sobre Antonio Conselheiro e os conselheiristas antes da 
Guerra 1 Dawid Danilo Bartelt * 1. Fanatismo e criminalidade: o 
Interdiscurso básico Quem estuda os jornais da Bahia, do Rio de Janeiro ou 
de São Paulo do ano de 1897, percebe a existência de um consenso nacional 
unânime: em Canudos achava-se um reduto de gente caracterizada como 
"fanáticos", "monarquistas" e "criminosos", aglomerados em "hordas" ou 
"bandos"; gente de alta periculosidade que deveria ser destruída a todo 
custo, já que "alterava a ordem pública" com o fim de destruir a República, 
que, consequentemente, via-se ameaçada e tinha que se proteger, esmagando o 
que foi considerado como uma "rebelião". Esta forma de perceber os 
sertanejos conselheiristas não era somente conseqüência dos acontecimentos 
cada vez mais surpreendentes, violentos e vergonhosos que vinham se 
desenvolvendo desde novembro de 1896 quando as

06/04/2006 13:04



[jose carlos lima] [jose.carlos.lima@hotmail.com] [Goiânia - Rio Meia 
Ponte]
9. O arcebispo de Salvador chegou a solicitar em 1887 uma vaga no "Asilo de 
Alienados" ... Em 1887, escreve assim o Arcebispo de Salvador, Dom Luiz 
Antonio dos ... www.portfolium.com.br/artigo-dawid.htm 
...................... Por hoje é só. Chega. Esqueci o horário de ir bater o 
relógio de ponto. Será que sou um alienado? Porque não consigo ficar online? 
Preciso desligar. Praticar o ócio criativo. Porque não desligo? Hoje fiquei, 
senão escrevendo, mas pesquisa a partir do fatídico sonho desta noite, o do 
ano 1887. No fundo no fundo, foi como ressuscitar todos estes 
nomes=olhos=seres. Esta é uma das leidas da integralidade. Somente os bons, 
como Lampião, Maria Bonita e outros terão seus nomes escritos=salvos no 
livro virtual=real. Grato, José Carlos Lima, em Goiânia - Rio Meia Ponte.

06/04/2006 13:00


Fwd: Idéia de Burca ou Burca de Idéia ou Burca Cristã





Mensagem original
De: jose carlos lima < jose.carlos.lima@hotmail.com >
Para: edson_barrus@ig.com.br
Cópia: bentoxvi@vatican.va
Assunto: Idéia de Burca ou Burca de Idéia ou Burca Cristã
Enviada: 03/12/2005 11:34

No momento são 09:35 horas=minutos=segundos=graus
Estou com preguiça de escrever
To ótimo
O tempo está uma delícia nesta cidade-estado, goiânia - rio meia ponte
Que vontade de dormir=espreguiçar, ficar offline!!!!!
Mas não posso me dar a este luxo
Sem ser neste sábado que vem, mas no outro, a performance "Idéia de Burca
Cristã" no Rio de Janeiro
Hoje ainda são dia 3 mas já estou em processo
É como se a performance já tivesse começado
Sinto isso
E começou sim
É assim que trabalho=olho=sou
Quando as pessoas imaginam que a poesia ainda não começou, já está é
acabando
Quem tiver olhos=pés=mãos=ouvidos para ver=olhar=ser, que veja=olhe=seja
A coisa já ta rolando
Daqui pra frente tudo tem significado
Todas as minhas ações, inclusive a minha morte, se por acaso isto ocorrer,
dirão respeito a esta obra que, já transcorrendo, continuará sendo
apresentada no Rio de Janeiro – qual o nome do rio que banha=olha=é esta
cidade-estado?
A obra já esta ocorrendo
Daqui pra frente, até o fim da apresentação, tudo o me disser respeito,
tudo aquilo que vier a mim, todos os sinais = traços= objetos =
palavras=coisas que se fizerem presentes a mim